NASA se prepara para lançar módulo espacial Raven no próximo sábado.

Módulo usará sensores e algoritmos para testar tecnologias que eventualmente será o usadas para abastecer satélites sem a necessidade de intervenção humana.

 

 

Várias empresas podem estar trabalhando em carros autônomos, mas a NASA está prestes a lançar uma tecnologia para a Estação Espacial Internacional, que pode deixar a agência mais próxima de desenvolver um veículo espacial que dispense a intervenção humana.

 

Um módulo de teste, batizado de Raven, ajudará a NASA a se localizar de forma autônoma com os satélites que viajam pelo espaço a mais de 26 mil km/h.

 

“Duas naves autônomas espaciais é crucial para muitas das missões futuras da NASA e a Raven está amadurecendo esta tecnologia nunca antes tentada”, disse Ben Reed, diretor de divisão com a NASA, em um comunicado.

 

O módulo, que é aproximadamente do tamanho de um forno de microondas, será anexado ao exterior da estação espacial onde usará sensores e algoritmos para testar tecnologias necessárias para lidar com o que se chama de rendezvous ou um encontro espacial sem a ajuda de seres humanos. A expectativa é que o módulo trabalhe por cerca de dois anos. 

 

A NASA precisa de naves espaciais de reabastecimento e manutenção capazes de encontrar e aportar com satélites, afim de atendê-los. Segundo a NASA, isso é um problema desde que 99% de todos os satélites que trabalham no espaço não foram projetados com esta capacidade.

 

Devido a atrasos, é difícil enviar comandos de encontro da Terra para satélites quando eles estão ficando sem combustível.

 

Seria mais fácil e mais eficiente enviar satélites de manutenção robótica para reabastecer outros satélites, que podem pesar várias toneladas e realizar os reparos necessários.

Isso também significa que os satélites poderiam trabalhar muito mais tempo antes de se tornarem lixo espacial.

 

No entanto, a NASA observa que este é um trabalho complicado.

 

Como os satélites em grande parte não são construídos para aportar-se em outros, os satélites de manutenção robótica precisarão usar o aprendizado de máquina e sensores para encontrar, aproximar, combinar velocidade e agarrar alvos.

 

O módulo Raven está programado para ser lançado na 10ª missão de reabastecimento comercial da SpaceX, que está agendada para o próximo sábado.

 

O equipamento estará a bordo da SpaceX Dragon, que será colocada em órbita por um foguete Falcon 9 a medida que ele se afasta do Centro Espacial Kennedy da NASA, na Flórida.

 

Raven está programado para ser descompactado da nave espacial Dragon pelo braço robótico Dextre da estação espacial cinco dias depois que ele chegar ao orbitador.

 

Dextre, um robô de dois braços, que trabalha na parte externa da estação, unirá o módulo a uma plataforma de carga útil na parte externa do orbitador.

 

Fora da estação espacial, Raven irá capturar e analisar dados sobre aproximação e partida da espaçonave. Ele usará sensores e algoritmos de visão de máquina, o que permitiria a uma máquina "ver", para medir a distância e a velocidade da espaçonave que está rastreando.

 

Seu processador também enviará comandos para o sistema de navegação do Raven para que ele permaneça treinado no objeto que está rastreando.

 

Os engenheiros na Terra irão acompanhar o progresso do Raven e ajustar o dispositivo para aumentar a sua eficiência e precisão.

Please reload

Posts Em Destaque

ENTENDA A IMPORTÂNCIA DE UM SITE INSTITUCIONAL BEM FEITO

May 28, 2020

1/10
Please reload

Posts Recentes
Please reload

Arquivo